Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site.
Ao utilizar nosso site e suas ferramentas, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Cia Consultores - Política de Privacidade

Esta política estabelece como ocorre o tratamento dos dados pessoais dos visitantes dos sites dos projetos gerenciados pela Cia Consultores.

As informações coletadas de usuários ao preencher formulários inclusos neste site serão utilizadas apenas para fins de comunicação de nossas ações.

O presente site utiliza a tecnologia de cookies, através dos quais não é possível identificar diretamente o usuário. Entretanto, a partir deles é possível saber informações mais generalizadas, como geolocalização, navegador utilizado e se o acesso é por desktop ou mobile, além de identificar outras informações sobre hábitos de navegação.

O usuário tem direito a obter, em relação aos dados tratados pelo nosso site, a qualquer momento, a confirmação do armazenamento desses dados.

O consentimento do usuário titular dos dados será fornecido através do próprio site e seus formulários preenchidos.

De acordo com os termos estabelecidos nesta política, a Cia Consultores não divulgará dados pessoais.

Com o objetivo de garantir maior proteção das informações pessoais que estão no banco de dados, a Cia Consultores implementa medidas contra ameaças físicas e técnicas, a fim de proteger todas as informações pessoais para evitar uso e divulgação não autorizados.

fechar

Notícias

Qual a importância da ESG e do Compliance? Fonte: Jornal Contábil, 18/11/2021

O Compliance é parte do ESG, mas não é tudo. ESG é algo mais elaborado e estratégico. Alguns assuntos que são prioridade de Compliance também são essenciais no programa de sustentabilidade, como código de ética, um canal de denúncias independente, preocupação em criar uma cultura de integridade e ética, gestão de riscos e uma boa governança corporativa.

O Departamento de Compliance, devido ao Programa de Compliance e seus pilares, possui acesso ao Conselho e à Alta Direção da empresa. Logo, pode direcionar a rota e primeiros passos a serem dados, em especial nos pilares de governança e social. Pode-se também utilizar a sua experiência em estruturação de Programa de Compliance para ajudar no desenho e adoção deste novo Programa, com foco na questão ESG.

O Compliance pode ajudar para que muitas empresas, que ainda não têm um programa de sustentabilidade estabelecido, iniciem as suas ações.

Por experiência, o programa de Compliance não é só a implementação, é algo contínuo e precisa ser contínuo. Sem contar que será o início de algo mais abrangente e efetivo para ajudar o negócio a não só “ter uma imagem sustentável”, mas a se posicionar e criar uma cultura com bases sólidas, que vai alavancar a empresa por anos.

Está enganado quem pensa que devemos optar entre construir um mundo mais sustentável ou ter bons resultados financeiros em uma companhia. O que de fato precisamos é cuidar do meio ambiente, ter responsabilidade social, agir com diversidade e adotar melhores práticas de governança, pois esses são fatores que ajudam no balanço contábil das empresas e no seu relacionamento/reputação com a sociedade.

A sustentabilidade está no centro das discussões. No último Relatório Global de Riscos do Fórum Econômico Mundial, os cinco principais riscos que envolvem assuntos de longo prazo estão relacionados às questões ambientais. O pilar “G”, de ESG, representa Governance, dando destaque a importância de dar atenção à governança corporativa, riscos e Compliance.

O ESG é usado para dizer quanto um negócio busca formas de mitigar seus impactos no meio ambiente, construir um mundo mais responsável e manter os melhores processos de administração.

Em meio à noticiários sobre o clima e demanda por soluções sustentáveis e de responsabilidade social, consumidores têm optado por empresas que melhor se posicionam nos critérios do ESG porque entendem que são empresas com modelos de negócios respeitados, oferecendo uma visão sobre sustentabilidade, qualidade da gestão, diversidade e risco, sem contar com o impulsionamento da rentabilidade dos negócios.

Por conta dessas condições dos stakeholders, negócios que seguem boas práticas ambientais, sociais e de governança são mais seguros e podem trazer mais lucratividade no longo prazo. E, principalmente, investidores e fundos de investimento consideram esses critérios na hora de investir o dinheiro.

Além disso, companhias que já seguem os critérios de sustentabilidade se beneficiam de maior desempenho profissional no mercado, além de serem mais atrativas e gerarem maior retenção de colaboradores, que buscam por companhias que impactem positivamente. No outro lado, clientes estão cada vez mais interessados em consumir de empresas focadas em sustentabilidade, o que significa um aumento da conscientização do público em geral para problemas relacionados à sustentabilidade, diversidade e meio ambiente.

Esse movimento é mundial, e o Brasil, onde muitas vezes esses aspectos eram esquecidos, atualmente vem demonstrando uma crescente em direção à normatização das empresas, principalmente as de capital aberta. Sempre com o objetivo de alinhar sua governança corporativa, incluindo divulgação de informações com maior transparência, clareza e precisão para os investidores.

Outras notícias

Acesse seus certificados